Para atualizações gratis via email: DIGITE SEU EMAIL:

domingo, 24 de setembro de 2017

Problema dos ursos polares ‘em extinção’:
estão gordos e numerosos demais

The Washington Times: a extinção dos ursos polares foi um dos espantalhos de Al Gore em 'An Inconvenient Truth'
The Washington Times: a extinção dos ursos polares
foi um dos espantalhos de Al Gore em 'Uma Verdade Inconveniente'
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







A especialista em ursos polares, Dra. Susan Crockford, expôs em sua página Polar Bear Science o perigo que está acossando os ursos brancos.

Até agora o alarmismo ambientalista explorava uma possível extinção dos ursos polares como um dos mais propagandísticos ícones das apocalípticas “mudanças climáticas”.

Mas o ícone está sumindo das manchetes alarmistas. O que houve?

Neste ano, os ursos polares da Baía de Hudson, perto de Churchill, Manitoba, apareceram em muito boa forma, apesar de um inverno muito frio. Churchill é um bom indicador e é considerada a “capital mundial do urso polar”.

Não apenas puderam ser flagrados muito gordos, como também apareceram em grande número. E não só na Baía de Hudson, mas também em outros locais onde eles se fazem ver durante o derretimento sazonal do gelo do Ártico.



O site até reproduz um engraçado (e preocupante) vídeo de um urso polar passeando pelas ruas da cidade.

A tendência também foi constatada em Svalbard, Suécia.

Algumas escusas foram tentadas. Por exemplo, o climatologista Michael Mann deplorou a má escolha dos ursos brancos e dos pinguins como indicadores da dramaticidade das “mudanças climáticas”.

Urso polar em Churchill. Foto de Alex De Vries.
Urso polar em Churchill. Foto de Alex De Vries.
Porém, os profetas da extinção dos ursos polares evitaram tratar de uma verdade simples: estavam errados os modelos que prediziam um fim catastrófico desses ursos pela redução dos gelos no verão ártico, em consequência do 'aquecimento global'.

A superfície de gelo ártico no verão declinou e os ursos polares se multiplicaram. Afinal, tem mais espaço aberto para caçar suas presas mais apetecíveis.

Não aconteceu o desastre, antes o contrário.

Os ursos polares, diz a Dra. Susan Crockford, já não são rentáveis para a propaganda do “aquecimento global”: a região dos ursos polares de Churchill é um bom exemplo disso.

Eles terão que procurar outro ícone para prosseguir com suas campanhas voltadas contra o homem e sua civilização.

Mas a confraria verde-socialista é incansável em procurar estratagemas enganosos e logo-logo inventa outro pretexto de pânico.


Um comentário:

  1. Muito esclarecedor o artigo. Parabéns pelo excelente trabalho!

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.